Nº 60 Recife, 07 de novembro de 1999

" Quebrar o átomo é fácil. Difícil é quebrar o preconceito. "
Alberto Eisntein


A Internet e as Relações Humanas



      À medida que a Internet amplia seus domínios aparentemente ilimitados cresce também a polêmica. Seria a grande rede, com seu enorme poder de disseminar a informação, um instrumento de agregação social ou uma ferramenta individualista que nos excluí do convívio humano, nos isola e, portanto, nos faz mais fracos sem o outro? A resposta para essa questão está longe do consenso.

      "É importante que haja uma reflexão sobre os caminhos que a Internet está tomando", assinala o economista Paulo Dalla Nora Macêdo, assessor de Planejamento do Grupo Nordeste, diretamente de São Francisco na Califórnia, Universidade de Berkeley, vizinha do Vale do Silício, onde faz pós-graduação em Marketing. Uma de suas principais críticas é dirigida aos "gurus" do ciberespaço, reverenciados como os novos comandantes do destino da humanidade, capazes de mudar nossas vidas num clique. "Não faria mal algum a essa gente um pouco de humildade e informação histórica para aprender que já passamos por outras revoluções tecnológicas e, no entanto, as nossas necessidades e aspirações continuam basicamente as mesmas. A velha pirâmide de Maslow continua, em muitos aspectos, atual", opina Macêdo.

      O economista observa que, enquanto prossegue a enfadonha discussão sobre a extensão da fortuna de Bill Gates, o supremo guru, a Internet vai absorvendo cada vez mais pessoas e instituições. Nessa onda digital, até a arte está sendo cooptada. "Os principais museus e galerias do mundo já trataram de criar seu site, onde podemos apreciar milhares de obras de arte dos mais variados estilos e épocas". Seguindo a tendência de inovação, já está se falando em uma forma de arte inteiramente digital, acessível apenas pela Internet. Nessa nova forma de arte não existiria original e reprodução, uma vez que tudo não passaria de bits e bytes. "Apesar de toda essa tecnologia, muito dificilmente será possível encontrar algo que venha a rivalizar com a experiência única de se sentir pessoalmente integrado a uma expressão artística, seja ela um quadro ou uma peça teatral. Nesse momento nos identificamos como parte do mesmo grupo, da mesma sociedade que foi capaz de criar aquela obra de arte".

      Para Macêdo, nunca devemos esquecer que o ser humano é um animal essencialmente social, que depende do outro para viver e evoluir. Essa evolução, lembra, sempre foi baseada na convivência mútua, desde os tempos em que o homem começou a se organizar em grupos para caçar, passando pelos gregos com seus grupos políticos, até os dias de hoje. "Tudo o que fazemos tem como combustível o desejo de nos integrar em um grupo, para o relacionamento com outras pessoas". Trata-se de uma realidade que nem os gurus, nem o amplo poder de fogo da Internet podem questionar. E que certamente vai influenciar os rumos da Rede neste novo milênio.



Outsourcing

Aquisição de serviços a fontes ou fornecedores externos. É um nome complicado para a conhecida "terceirização". O Outsourcing pode ser uma boa estratégia para reduzir os custos fixos e ganhar mais eficiência, ao permitir aos administradores dar maior enfoque ao negócio principal da empresa.



Cofins

É indedutível, para os efeitos da apuração do lucro real e da base de cálculo da CSLL, o valor correspondente até um terço da Cofins efetivamente paga e compensada com a contribuição social sobre o lucro líquido.



Página Legal

Para quem nunca sabe por onde começar a navegar e está sempre atrás de novidades na Rede, a "Que Página Legal!" (www.paginalegal.com.br) pode ser um bom começo. É a versão brasileira da badalada "Cool Site of the Day" norte-americana. A cada dia, uma home page nacional é a estrela da página, mas o internauta pode consultar os arquivos e fazer sua busca por data ou assunto. Também pode sugerir home pages para a Página do Dia.



Indiferença

A principal razão pela qual os clientes deixam de ser fiéis a uma empresa é a indiferença dos funcionários (68%). Em seguida vem mudança de preços (14%); mudança de qualidade (9%); boatos (5%); mudança de endereço (3%); e morte (1%).

Fonte: Revista Inovação


O espírito digital
      As novas tecnologias não são apenas ferramentas, instrumentos práticos que têm possibilitado, entre outros feitos, à Internet, a compactação, o armazenamento e o resgate das informações. Elas têm naturalmente um corpo, uma visibilidade material, uma nova sensualidade, uma sedução pragmática. Por outro lado, é com elas que começa a existir, (se é que nos persegue velha e conhecida dicotomia) o que, à falta de uma melhor expressão, podemos chamar: o espírito digital.

      É o espírito digital que projeta novos sentidos e vai modelando os novos paradigmas. Aos poucos, vamos reconhecendo algumas constantes em sua fisionomia. Flexibilidade, ludicidade, personalização, agilidade, interatividade, interdisciplinaridade, virtualidade, nova socialização, etc., etc. Por trás das máquinas, o espírito digital sopra novas relações e novas configurações do ser/estar no mundo. Ainda é cedo, mas há uma indisfarçada ânsia de mapear o vertiginoso universo que se produz a partir de bits, informações e do espantoso desenvolvimento tecnológico.

      Como sempre, há profetas de plantão. Como sempre, há caminhos a percorrer, quer para topar com encruzilhadas éticas, quer para voltarem sobre si mesmos, quer para se abrirem em janelas que se desdobram infinitamente em novas e audaciosas janelas. Nem sempre os futurólogos acertam, nem sempre costumam errar. O importante, por motivos estratégicos, não é o domínio de máquinas fabulosas. Mas estar atento aos pajés e magos que incorporam o espírito digital.

      Ao contrário do que se pode pensar, o espírito digital não está pronto e acabado. Equivoca-se quem assim julgar. O fato de as melhores imaginações e inteligências estarem atentas não quer dizer muita coisa nem garante que os caminhos sejam inexoráveis. A única coisa assegurada é que as mudanças continuarão a ser profundas e aceleradas (isso se as contrastarmos com as mudanças do passado). Ai de quem pensar que o espírito digital está circunscrito e pacificado em computadores de última geração ou em alguma sala secreta da IBM. Antes que o galo cante três vezes, ele cantará de galo em todos os terreiros de nossa vida bem comportada e previsível. Finalmente, nosso tédio tem um inimigo à altura. Um inimigo rápido, alheio à geografia física, e que, como no verso do poeta Paul Éluard, "está em nós e em toda parte".


Paulo Gustavo
sócio da Consultexto




rede@redegestao.com.br

deloitte@elogica.com.br

www.jcr.com.br


APRESENTAÇÃO | COMPETÊNCIAS | DESAFIO 21 - GESTÃO & COMPETITIVIDADE | E-MAIL | HOME